18 mar 2021 às 08:26 hs |
Preços de produtos de hortifrúti têm variação de até 780% em Campo Grande
Quilo do mesmo item de hortifrúti custa entre R$ 2,60 e R$ 22,90 em estabelecimentos da Capital
Preços de frutas, verduras e legumes têm grande variação na Capital – Foto: Arquivo / Correio do Estado

Itens de hortifrúti têm variação de até 780,77% em Campo Grande, segundo aponta pesquisa da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon), divulgada nesta quarta-feira (17). (Veja a pesquisa abaixo).

O levantamento foi realizado em 20 locais entre atacadistas, supermercados, mercados e outros estabelecimentos onde há hortifrutigranjeiros à venda.

Dos 92 itens que constam na pesquisa, entre frutas, verduras e legumes, 73 apresentaram variação de mais de 100% nos preços.

A principal variação encontrada foi no preço do jiló, onde o quilo custa R$ 2,60 em um supermercado e R$ 22,90 em outro, diferença de R$ 20,30 no preço do quilo do mesmo produto.

Outra diferença considerável é no valor do abacaxi do tipo Havaí, que custa de R$ 2,50 a R$ 14,99, variação de 499,60.

Quiabo tem variação de 425,07%, comercializado entre R$ 3,79 o quilo a R$ 19,90 o quilo entre os estabelecimentos da Capital.

Também apresentam grande diferença de preço o quilo da batata inglesa comum, de 366%; da laranja lima, com 334,35%; e da vagem, com variação de 309,91%.

O item com menor índice constatado é a uva Niágara bandeja de 500 gramas, que custa R$ 5,95 no local mais barato e R$ 7,99 no mais caro, variando 34,29%.

Mel de abelha puro, que, segundo o Procon, é um produto de consumo considerável na Capital, é vendido a preços que vão de R$ 22,90 a R$ 27,59.

Entre as verduras, alface-crespa é vendida entre R$ 1,99 e R$ 4,25 o maço, enquanto o agrião custa de R$ 3,19 a R$ 6,29 o maço.

Conforme a pesquisa, o Atacadão é o local onde foram encontrados mais produtos com o menor preço, seguido pelo Mercado do Produtor.

Já o Hortifruti Folha Verde é o estabelecimento com maior número de produtos comercializados no valor mais caro encontrado.

No comparativo entre os preços praticados neste ano e no ano passado, 17 itens tiveram decréscimo nos valores. Em se tratando de aumento nos preços, o quilo da ameixa importada ficou 137,94% mais caro no período, sendo a maior variação.

Com a grande variação de preços, orientação é que o consumidor pesquise antes de realizar as compras.

O levantamento foi realizado no período de 5 a 12 de março.

 Confira a pesquisa completa de produtos hortifrutigranjeiros

Fonte: Correio do Estado

Comentários ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do F5MS Notícias. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.