14 ago 2018 às 07:51 hs |
Doenças psicológicas “encostaram” 956 servidores

Foto: Gerson Oliveira / Correio do Estado

Este ano, 956 servidores da Prefeitura de Campo Grande e do governo estadual precisaram ser removidos de seus cargos originais e recolocados em funções distintas por problemas de saúde. Professores e outros funcionários da educação formam a maioria dos afetados, com 832 procedimentos. Transtornos psicológicos e psiquiátricos são apontados como as principais causas.

 

Os demais 124 servidores são de setores como a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), a Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), no âmbito do Estado, e a Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), entre outros. 

 

Somente na Rede Municipal de Ensino (Reme), foram realizadas 363 readaptações provisórias – quando o servidor é afastado de suas funções para executar tarefas mais compatíveis com sua capacidade física e mental, com base em parecer médico.

 

Outros 32 funcionários públicos municipais foram readaptados de forma definitiva em 2018. O procedimento é realizado após dois anos de readaptação provisória. 

 

 

correiodoestado

Comentários ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do F5MS Notícias. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.