15 out 2018 às 06:42 hs |
‘Bando de viado’: após gritos de ódio, homem dá três tiros e acerta jovem em frente a bar

Foto: Marcos Ermínio

Um rapaz de 20 anos foi atingido por dois tiros na madrugada deste sábado (13) em Campo Grande, enquanto estava do lado de fora do Bar Fly. De acordo com a proprietária do local, diversos frequentadores viram um homem estacionar um veículo prata na esquina, descer à pé com a arma em punho e dar tiros em direção às pessoas.

 

 

 

Imagem do homem que chegou atirando e fugiu correndo após ataque. (Foto: Divulgação)

“Um segurança chegou a gritar para alertar, mas não deu tempo, foi muito rápido”, relata Fátima. Nas redes sociais, a empresária tem sofrido ameaças de um homem ‘que parece muito com o do vídeo que atirou’ por seus posicionamentos políticos.

 

O homem chegou derrubando motos e gritando ‘seus bando de viado, de filho da puta (sic)’. Em seguida, ele teria dado três tiros. Dois deles acertaram o jovem nas costas, de raspão. “Meu filho mesmo que levou ele ao hospital. Estava acordado, sem sangrar. Foi levado para o CRS do Tiradentes e, de lá, a mãe dele levou para a Santa Casa para fazer um raio-x. Ela ficou na dúvida se tinha algum tiro alojado, mas o rapaz estava acordado e sem sangramentos”, relata a empresária, que não conseguiu dormir após o ataque.

 

Na noite deste sábado, acontecia na casa noturna uma festa de Halloween, voltada para o público LGBTQ+, segundo Fátima. “É uma vergonha, é de uma tristeza sem tamanho o que está acontecendo no nosso país. São pessoas completamente desequilibradas”.

 

O carro seria um Golf prata. No veículo, outro homem aguardava a ação do atirador. “Ele atirou, saiu correndo de volta para o carro e fugiu com esse outro rapaz”, informa.

 

Imagens das câmeras mostram o rosto do atirador. A Polícia Militar foi acionada e vai analisar as imagens do bar.

 

Ataque nas redes sociais

 

Fátima diz sofrer ataques pelo seu perfil público no Facebook. “Eu estou sem dormir. Estou apagando tudo o que postei sobre posicionamento político. Eu jamais imaginei que a gente ia chegar neste ponto por apenas discordar do outro”, afirma.

 

A empresária tem cópias das ameaças sofridas nas redes sociais. “Já acionai meu advogado, que vai até a delegacia ver se pode ajudar nas investigações e como eu devo proceder para me proteger”.

 

Fátima relata que foi com o filho a um supermercado de Campo Grande e foi ameaçada. “Meu filho não é gay, mas ele tem o cabelo longo, toca na noite, é DJ. Eu estava de mãos dadas com ele e alguém gritou para eu arrumar um homem logo para ele. É lamentável”, disse.

 

 

Fonte:Midiamax

 

Comentários ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do F5MS Notícias. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.