12 jun 2021 às 08:11 hs |
Com 28 mil seguidores, campo-grandense que vende fotos sensuais no Instagram vai à Justiça contra ‘fake golpista’

Após clonar conta, golpista passou a aplicar golpes em clientes da influencer

Jovem tem 28,3 mil seguidores. – (Foto: Reprodução/ Instagram)

Uma digital influencer de Campo Grande – que trabalha disponibilizando fotos sensuais para seguidores ‘exclusivos’, por meio da ferramenta ‘Close Friends’ do Instagram – ingressou com ação judicial na última segunda-feira (7) na qual alega ter sido vítima dos crimes de estelionato e danos morais.

Na ação, a jovem alega que teve a conta – com mais de 30 mil seguidores – clonada por um golpista, que estaria utilizado-a para solicitar dinheiro de interessados no serviço. Para dar veracidade ao golpe, o suspeito estaria utilizando fotos reais da vítima, que teriam sido disponibilizadas em outras plataformas.

Na última quinta-feira (10), os advogados começaram a anexar ao processo provas necessárias para comprovação dos culpados. Isso porque o juiz Wilson Leite Corrêa, da 5ª Vara Cível da Capital, solicitou que sejam anexados documentos a fim de comprovar o titular da conta. Atualmente, os réus arrolados na ação são o Facebook – empresa responsável pelo Instagram – e o titular da conta para onde as vítimas enviavam dinheiro para participarem dos ‘melhores amigos’ do perfil falso.

“Ela já havia trabalhado com isso, mas desde o mês de maio essa conta falsa começou a aplicar golpe em pessoas conhecidas e familiares dela, pedindo para que enviassem o valor da ‘mensalidade’ e que as fotos começariam a ser mandas pelo WhatsApp e não pelo Instagram”, afirma um dos advogados da jovem, Cauê Corrêa. Agora, é necessário a comprovação de que o nome utilizado no Pix é o responsável pelos crimes.

O advogado ainda relata que o golpista enviada um número semelhante a um código de verificação por SMS e que, ao completado, ocorre a clonagem da conta. “Atletas, atores e famosos já usam a ferramenta do Close Friends há muito tempo, para que alguns seguidores tenham acesso a uma área mais exclusiva, mas precisam pagar para ter acesso a esse conteúdo”, afirma Corrêa.

Prints anexados à ação demostram como o golpista agia com as vítimas potenciais | Foto: Reprodução

A ação é movida pelos crimes previstos nos artigos 218 C e 271 do Código Penal Brasileiro, de danos morais associados à figura da jovem com o golpe, além de estelionato, foi pedida após a garota não conseguir resposta da plataforma para que a conta fosse removida.

“Ela recorreu ao Instagram durante um mês, para que fosse feito alguma coisa na parte administrativa do aplicativo. A partir do não posicionamento, tivemos que apelar ao Judiciário”, afirma Corrêa.

Ainda segundo o advogado, a indenização foi pedida no valor de R$ 22 mil, e se justifica “devido ao abalo subjetivo que a causou, por ter mais de 28 mil seguidores que consomem seu conteúdo e podem associar o golpe à sua imagem”. A defesa tem 10 dias para anexar os documentos nos autos.

Imagem mostra como o golpista fazia para clonar WhatsApp das vítimas | Foto: Reprodução

Fonte: Midiamax

Comentários ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do F5MS Notícias. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.