21 nov 2018 às 08:51 hs |
Relatório aponta problemas em três barragens no Estado

Levantamento da Agência Nacional de Águas (ANA) aponta graves problemas na estrutura de, pelo menos, três barragens de Mato Grosso do Sul. As informações constam no Relatório de Segurança de Barragens, coordenado anualmente pela ANA e divulgado na segunda-feira. Conforme o documento, a barragem Lajeado, localizada em Campo Grande, sob responsabilidade da empresa Águas Guariroba, apresenta “problema de vedação no vertedor”. Já na barragem Esteio, que fica em Rio Brilhante, na propriedade de Henrique Ceo­lin, foi constatada “grande vazão no pé da barragem”. Na mesma cidade, na Cabeceira do Onça, sob responsabilidade de Oscar Luiz Giuliani, foram encontrados “floresta no talude, material solto por cima e presença de algumas fissuras” na barragem.

 

Questionada sobre a situação, a Águas Guariroba alegou que já adota as recomendações apresentadas pela ANA no relatório. “Vale ressaltar que a operação da barragem está segura e é monitorada pela concessionária. As medidas recomendadas são apenas  manutenções pontuais de impermeabilização, que não representam riscos para a estabilidade e segurança da unidade”, diz nota à imprensa.

 

Já com relação as demais barragens, o Imasul afirma ter notificado os proprietários. “As não conformidades apontadas no relatório da ANA foram detectadas em procedimentos de fiscalização e regularização de barragens feitos pelo Imasul. Quando são detectados problemas que comprometem a estrutura de uma barragem, o Imasul notifica o empreendedor a fazer as manutenções necessárias para manter a segurança da estrutura. Se a barragem não for regularizada, o instituto pede a regularização. Esses proprietários já realizaram manutenções preventivas, que estão sendo acompanhadas”, informou a assessoria de imprensa.

 

Fonte:Correiodoestado

Comentários ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do F5MS Notícias. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.