8 fev 2021 às 06:54 hs |
MS recebe quarto lote de vacina contra Covid-19 e soma 220 mil doses
Foto: Henrique Arakaki, Jornal Midiamax

Chegou na tarde deste domingo (7) o quarto lote de vacinas contra a Covid-19. A remessa do Ministério da Saúde é de 30 mil doses da CoronaVac, imunizante desenvolvido em parceria da farmacêutica chinesa Sinovac com o Instituto Butantan, de São Paulo. Na semana passada, o secretário de Saúde Geraldo Resende afirmou que expectativa inicial era de que 100 mil doses chegassem nesse novo lote. 

O lote foi enviado em um voo da companhia aérea Gol. O desembarque das caixas ocorreu logo após o descarregamento das bagagens dos passageiros. Segundo a SES (Secretaria de Estado de Saúde), o imunizante continuará sendo aplicado primeiramente em idosos a partir dos 80 anos e profissionais de saúde.

Nenhuma autoridade estadual acompanhou a entrega desta vez. Uma equipe da PF (Polícia Federal) vai escoltar o transporte das vacinas para a central de frios da SES.

Como ocorreu nas últimas entregas, o governo inicia a distribuição das doses na madrugada desta segunda-feira (8). Ainda não foi divulgado o quantitativo de doses que cada município vai receber.

Vacinação em MS

Com esse novo lote, o Estado soma 220 mil doses recebidas. A primeira remessa, de 158,7 mil doses de CoronaVac, foi entregue em 18 de janeiro.

No dia 24, foram recebidas 22 mil doses da Covishield, imunizante desenvolvido em parceria da Universidade de Oxford e a farmacêutica britânica AstraZeneca. No Brasil, essa vacina é produzida pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), do Rio de Janeiro.

E no dia 25, mais 10,2 mil doses da CoronaVac foram enviadas para Mato Grosso do Sul. A primeira remessa foi entregue pela FAB (Força Aérea Brasileira) e as demais vieram em voos de companhias privadas.

De acordo com o “Vacinômetro” da SES, já foram aplicadas 71.688 vacinas, o que representa 2,55% da população.

Estão sendo imunizados nesta etapa idosos com mais de 60 anos que moram em instituições como casas de repouso, pessoas com deficiência em residências inclusivas, além de indígenas que vivem nas aldeias e trabalhadores da área da saúde que estão na linha de frente contra a pandemia. Os idosos acima de 80 anos foram incluídos no público prioritário da primeira fase desde 29 de janeiro.

Fonte:Midiamax

Comentários ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do F5MS Notícias. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.