5 jul 2019 às 02:47 hs |
Suspeita de envolvimento do PCC em furto de cocaína leva Corregedoria a atuar em DP

A suspeita de relação entre policiais civis e integrantes do PCC (facção criminosa que comanda o tráfico de drogas e armas nas fronteiras de Mato Grosso do Sul) para o furto de 100 quilos de dentro do 1ºDP de Aquidauan levou o comando da corporação a anunciar nesta quinta-feira (4) que a Corregedoria atuará agora diariamente no local.

O Correio do Estado apurou junto a policiais da cidade que foi descoberto o envolvido de lideranças do PCC no planejamento do crime em pelo menos duas ações.

“Foi elaborado um plano minucioso, com escolha específica de dias, horários e atuação, coma  participação de elementos faccionados de grande envergadura”, disse o atual delegado titular do local, Wilkson Vasco Francisco Lima Barros.

“A droga entrou apreendida no local no dia 30 de maio. E foi retirada em sua totalidade em dois dias diferentes”, diz o depoimento de um dos ouvidos pelo caso na delegacia. O furto só foi descoberto no dia 10 de junho, por um delegado plantonista.

O objetivo da Corregedoria é descobrir de vez se o delegado Eder Oliveira Moraes, antigo responsável pela unidade e que está preso acusado de envolvimento com o caso foi o responsável por organizar os encontros para a elaboração do plano de resgate da droga, avaliada em mais de R$ 2 milhões. 

Até aqui, Moraes já fora flagrado buscando interessados na cocaína por telefone, conforme a reportagem aourou. A próprioa corregedoria admite podem ter muito mais policiais envolvidos com o caso.

Na publicação desta quinta no Diário Oficial do estado, o delegado-geral Marcelo Vargas Lopes designa Roberto Gurgel de Oliveira Filho como uma espécie de interventor em Aquidauana. Sem prazo determinado, ele deverá elaborar um relatório para a Corregedoria com o que for apurado por sua equipe durante a verificação.

“Considerando a necessidade de verificar a existência e regularidade na escrituração de livros obrigatórios, assim como a verificação dos procedimentos policiais e administrativos e todos os demais documentos relativos à atividade fim da Primeira Delegacia de Polícia de Aquidauana-MS; Considerando o que dispõe os artigos 230 e 231, do Regulamento das Atividades Cartorárias, Administrativas e Operacionais da Polícia Civil”, diz o chefe da Polícia Civil na publicação. 

Fonte:Correiodoestado

Comentários ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do F5MS Notícias. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.