6 maio 2021 às 10:01 hs |
Com delegacia especial ativada, polícia faz operação contra furto de gado em MS

As equipes policiais estão nas doze áreas de atuação das delegacias regionais

(Foto: Divulgação/Polícia Civil)
(Foto: Divulgação/Polícia Civil)

A Polícia Civil realiza nesta quinta-feira (6) megaoperação em combate ao crime de abigeato – furtos de animais domésticos no campo e nas fazendas, principalmente de gado – em Mato Grosso do Sul. Conforme apurado pela reportagem, as equipes policiais se dividiram entre as doze áreas de atuação das delegacias regionais.

As ações são coordenadas pela recém-criada Deleagro (Delegacia Especializada de Combate à Crimes Rurais e Abigeato), e conta com apoio do Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado) e da DPI (Delegacias de Polícia do Interior). Os policiais envolvidos na operação se dividiram para cobrir a área de cada delegacia regional do Estado.

Neste momento, as equipes investigam o furto de animais, principalmente de gado, nas regiões de Ponta Porã, Dourados, Aquidauana, Bataguassu, Corumbá, Coxim, Fátima do Sul, Jardim, Naviraí, Nova Andradina, Paranaíba e Três Lagoas. Ainda não há detalhes da operação.

O furto de gado muitas vezes é praticado para revenda de carne ilegal a pequenas mercearias e açougues. Em Miranda, em fevereiro deste ano, operação da Polícia Civil contra o mesmo esquema terminou de uma tonelada de carne imprópria para o consumo.

Na data, dez estabelecimentos comerciais da cidade foram vistoriados. Uma fábrica clandestina de linguiça, feita com a carne dos animais furtados, foi descoberta. Até um rato foi encontrado em um dos locais fiscalizados pelos policiais. Em um dos estabelecimentos uma linguiça também tinha fezes dos roedores.

Também foram apreendidos mais de 200 litros de leite in natura, além de outros alimentos em condições improprias, como queijos

Fonte: Campo Grande News

Comentários ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do F5MS Notícias. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.