30 jul 2019 às 06:54 hs |
Funcionários do HRMS denunciam novo surto de piolhos de pombo

Duas semanas após a primeira infestação, um novo surto de piolhos voltou a tomar conta de setores do HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande. A denúncia, feita por funcionários, dá conta de que a nova infestação estaria atingindo cinco andares do prédio; por outro lado, hospital diz que problema tem acontecido em apenas dois setores.

Conforme o funcionário, os piolhos estariam se alojando no 4°, 5°, 6°, 7° e 8° andares. No dia 16 de julho, outra denúncia de que os insetos estariam tomando conta do sétimo andar fez com que a SES (Secretaria Estadual de Saúde) providenciasse uma dedetização, que aconteceu no seguinte a denúncia.

Além disso, o funcionário denunciou à reportagem que estaria faltando diversas medicações na unidade, como doses de creatinina, ureia, sódio, potássio, cálcio e gasometria arterial. Inclusive exames de tomografia e hemodinâmica também não estariam sendo feitas.

O presidente do Sintss-MS (Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social de Mato Grosso do Sul) Ricardo Bueno, o sindicato estava ciente apenas da situação da proliferação dos insetos do sétimo andar e que reclamação dos funcionários vai muito além da falta de medicação.

“O que todo mundo fala é que não é só medicamento que está faltando. A gente não vê empenho do Governo em melhorar as coisas no Regional. Estão sucateando o Regional para poder justificar a terceirização do hospital”, disse. Segundo Bueno, há um concurso público autorizado desde 2017 para a seleção de médicos, enfermeiros e outros funcionários de outras áreas, mas até então, ‘nem sinal’, do edital.

Posicionamento

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da SES e foi informada que, sobre a falta de remédios, o problema foi pontual e que situação deve voltar à normalidade entre esta segunda-feira (29) e terça-feira (28).

Já sobre a infestação dos piolhos de pombo, a secretaria relatou que está tomando providências para eliminar insetos.

“Quanto ao solicitado sobre os pombos, o Hospital informa que faz parte da rotina a dedetização dos andares, como medida preventiva. Os pombos especificamente estavam no 7° e 8° e ambos já passaram pelos procedimentos adequados. Agora o Hospital estuda formas seguras e eficazes para que os animais não fiquem em nossa instituição”, disse.

Fonte:Midiamax

Comentários ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do F5MS Notícias. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.