8 jan 2020 às 13:48 hs |
Exportações de carne bovina de MS cresceram 21% no ano passado

Faturamento superou os R$ 3 bilhões com maior demanda de carnes no mercado mundial

MS manteve destaque e crescimento na exportação de carne bovina no ano passado. (Arquivo)

As exportações de carne bovina de Mato Grosso do Sul registraram alta de 21,4% em faturamento no ano passado. O valor ficou em US$ 776,6 milhões ou pouco mais de R$ 3 bilhoes diante de US$ 641,1 milhões de 2018. A maior demanda de carnes no mercado mundial e posicionamento de MS no ranking de exportadores no País ajudaram nos números.

“Os números mostram que o foco necessário para o Estado está na agregação de valor para exportação. É a linha que queremos adotar. Processar mais as matérias primas internas para que elas possam sair semielaboradas ou elaboradas, como é a celulose. Nas carnes tornar o MS livre de febre aftosa para que a gente conquiste novos mercados, inclusive com a suinocultura”, destaca o titular da Semagro (Secretaria de Estado da Produção), Jaime Verruck.

No Brasil as vendas também tiveram recorde de volume e faturamento em 2019, após forte demanda da China alavancar as vendas brasileiras de proteínas, disse no início da semana a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec).

O Brasil terminou o ano passado com 1,847 milhão de toneladas de carne bovina exportadas, avanço de 12,4% na comparação anual, e receita de 7,59 bilhões de dólares, alta de 15,5% versus 2018, segundo os dados da Abiec.“Os números demonstram o quanto a carne brasileira é bem aceita e tem boa competitividade no exterior”, disse em nota o presidente da Abiec, Antonio Jorge Camardelli.

China – Em 2019, a China se consolidou como maior compradora da carne bovina brasileira, com uma fatia de 26,7% no volume embarcado, afirmou a entidade.

Dessa forma, as exportações para o país asiático saltaram 53,2% em volume e 80% em receita na comparação com 2018, para 494.078 toneladas e 2,67 bilhões de dólares.

Os dados fornecidos pela Abiec quanto à China não contabilizam as vendas para Hong Kong, segundo principal mercado da proteína brasileira, que somaram 342.874 mil toneladas em 2019 —retração de 13,1% contra 2018.

A China enfrentou graves surtos de peste suína africana em 2019, que fizeram com que sua enorme criação de porcos recuasse em cerca de 40% e levaram o país a acelerar suas importações de proteínas.

Assim, além do recorde para a carne bovina, as exportações de carne suína do Brasil também atingiram máxima histórica em 2019, conforme dados divulgados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Fonte: Campograndenews

Comentários ATENÇÃO: Comente com responsabilidade, os comentários não representam a opnião do F5MS Notícias. Comentários ofensivos e que não tenham relação com a notícia, poderão ser retirados sem prévia notificação.